Anthony Browne

Sheffield (Inglaterra), 1946

Estudou no Leeds Colleage of Art e especializou-se em design gráfico. O seu afinco perfecionista pela representação da figura humana provém da influência de um dos seus primeiros trabalhos, como desenhista num hospital de Manchester. A sua dedicação à ilustração infantil corresponde a uma etapa posterior como desenhador de postais de felicitações. O seu estilo também revela o interesse pelos pintores surrealistas, as cenas oníricas e a introdução de elementos estranhos nas imagens. Ao longo da sua frutífera trajetória recebeu importantes distinções, como a Medalha Kate Greenaway, a Medalha Children’s Laureate, o Prémio Kurt Maschler e o Prémio Hans Christian Andersen no ano 2000 pelo conjunto da sua obra. Foi o primeiro britânico a obter essa distinção, desde 1956. É um dos autores ingleses de maior prestígio pela sua contribução para a descoberta de novas formas de ler, ver e relacionarse com a linguagem plástica, o que é visível em títulos como “O livro dos porquinhos” ou “Pela floresta”, editados por KALANDRAKA. Os críticos afirmam que a sua obra cria um universo pleno de referências culturais e artísticas, pistas visuais e chaves que valorizam a inteligência do leitor para completar e interpretar o texto, independentemente da sua idade.